Costumamos vir aqui com boas notícias, porém hoje a que trazemos nos enche de tristeza. Um incêndio de grandes proporções assolou a Escola Estadual de Ensino Médio Cláudio Antônio Benvegnú. O fato ocorreu na madrugada de hoje, 07 de junho.
Não tem, em Água Santa, quem não tenha uma ligação com a Escola Estadual. Seja como aluno, professor, equipe diretiva, funcionário ou família de quem ali já passou. É triste ver o nosso Colégio em chamas e agora parcialmente destruído. O “colejão” ou a “estadual” como carinhosamente chamamos já formou muitos alunos de Água Santa e região, foi a minha segunda casa por anos, aposto que a sua também e, muito em breve, voltará a ser a segunda casa de cerca de 120 alunos e de tantos outros que ao longo dos anos passarão por ali.
A união do nosso povo já reconstruiu o colégio antigo quando o mesmo foi atingido por um vendaval em 1987, depois a nossa população, mais uma vez, se uniu para ajudar a desmanchar a antiga escola. E ontem, enquanto as chamas consumiam o nosso Colégio, professores, alunos, equipe diretiva, ex-alunos, funcionários e a população em geral, novamente mostraram que a união de um povo é fundamental. Exaltamos a ajuda de todos que estão em mobilização para minimizar os dados do educandário. A união do nosso povo já reconstruiu tanta coisa e se preciso for de novo o fará!
A Administração Municipal de Água Santa está, juntamente com a coordenadoria da 7ª CRE e a equipe diretiva da Escola Estadual, aguardando o laudo da pericia que dirá se a Escola poderá abrigar os alunos no andar térreo do prédio ou se as aulas terão que ser transferidas para outro lugar. De qualquer forma, o Poder Público já está estudando possibilidades de realocação dos alunos, professores e demais funcionários.
“Nesse momento triste e difícil lamentamos os danos causados na estrutura da escola, mas agradecemos por nenhuma vida ter sido perdida. Já estamos mobilizados estudando formas de suprir a demanda de aula dos alunos. A Prefeitura Municipal dará todo o suporte necessário para que as aulas não sejam canceladas por mais tempo que o necessário. Juntos lutaremos para que nossos alunos e professores não percam o ano letivo”, afirmou o prefeito municipal, Eduardo Picolotto.
Ainda, o prefeito enalteceu o trabalho dos Bombeiros Voluntários de Tapejara que deslocaram 03 viaturas e 08 bombeiros voluntários. Para conter as chamas foram utilizados 25 mil litros de água e o caminhão pipa da prefeitura também foi utilizado no combate ao incêndio “Juntamente com a Administração Municipal, equipe diretiva e a 7ª CRE, a Secretaria de Educação de Água Santa está trabalhando para que, na medida do possível, tudo se normalize o mais breve possível, que os alunos não percam tantos dias de aula e que a Escola Estadual encontre em nós o suporte para o que precisarem”, relatou a secretária de educação e cultura, Andriessa de Moraes de Souza.
A secretária de administração, Marlei de Arruda Girardi, em um depoimento emocionante, traduz o sentimento de todos nós de Água Santa. “O coração sangra e os olhos por vezes não seguram as lágrimas diante do cenário de destruição da nossa Escola Estadual Cláudio Antônio Benvegnú. Porém, como mãe de aluno e presidente do Conselho Escolar, e, por acompanhar de perto o zelo e a dedicação, tanto da anterior direção da escola, como da atual, bem como o empenho de todos os professores e da comunidade água-santense, com o apoio do poder público, tenho certeza que os esforços em conjunto se multiplicarão em busca da reconstrução desse tão importante espaço escolar. Espaço esse que compõe a história de tantos água-santenses que nutrem um carinho muito especial e guardam dali memórias para toda a vida… Unidos por um objetivo comum: a nossa Escola Estadual de volta!”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *